Clinics Biopsychosocial https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps <p>A Revista Clinics Biopsychosocial, de ISSN <strong>2965-5986,</strong> possui periodicidade semestral e objetiva fomentar o estudo, o aperfeiçoamento e a atualização dos profissionais, com foco interdisciplinar, contribuindo para o diálogo entre a pesquisa e a sociedade e, também, para a manutenção do fluxo da comunicação científica da EMESCAM e de outras Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa, nacionais e internacionais.</p> EMESCAM pt-BR Clinics Biopsychosocial 2965-5986 Perfil dos pacientes atendidos em um Centro Especializado Em Reabilitação Tipo III No Espírito Santo https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/18 <p>Objetivo: Identificar o perfil dos pacientes com lesão neuromusculoesquelética atendidos pela fisioterapia no Centro Especializado em Reabilitação CER III Pestalozzi Guarapari. Métodos: Trata-se de um estudo observacional longitudinal retrospectivo, com amostra de 341 prontuários, referentes aos atendimentos de fisioterapia dos anos de 2018 e 2019 do Centro Especializado em Reabilitação CER III Pestalozzi Guarapari. Resultados:&nbsp; 53,5% eram do sexo masculino, com&nbsp; até 1 ano de idade, de etnia parda,&nbsp; 97,5% eram residentes de Guarapari, 22,9% tinham renda de até 1 salário mínimo, o tipo de lesão predominante era alteração neurológica infantil com 43,3%, 32,5% do tempo de diagnóstico foi de 0 a 6 meses, 92,4% continham diagnóstico clínico, 71,3% apresentavam diagnóstico fisioterapêutico e apenas 21,0% dispunham de diagnóstico por imagem. Conclusão: O perfil dos pacientes do Centro Especializado em Reabilitação CER III Pestalozzi Guarapari, são em sua maioria crianças com até um ano de idade, do sexo masculino, etnia parda, com renda familiar de até um salário mínimo, oriundos de Guarapari, sendo predominante a alteração no desenvolvimento neuropsicomotor e em sua grande maioria apresentam o diagnóstico clínico precoce e fisioterapeutico.</p> Giulia Lorusso Amodio Karina Franco Valle Tirza Jacoboshi Rodrigues Da Silva Mariângela Braga Pereira Nielsen Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.18 Influência do preenchimento correto dos dados no prontuário na coleta de informações para pesquisa https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/16 <p>Objetivo: Verificar a completude de dados encontrados nos prontuários analisados em um Centro Especializado em Reabilitação da região metropolitana do estado do Espírito Santo. Método: Trata-se de um estudo observacional de coorte retrospectivo, que teve uma amostra de 1000 prontuários referentes aos atendimentos de fisioterapia no ano de 2018 no Centro Especializado em Reabilitação do Estado do Espírito Santo, CER II CREFES. Foi realizada uma análise descritiva dos dados. Resultados: Dentre os prontuários analisados, observou-se que 46,7% não tinham informações com relação à etnia; apenas 4,3% dos 1000 prontuários analisados continham informações com relação à renda, a escolaridade não foi verificada em 23,4% dos prontuários analisados e verificou-se a ausência de informações com relação ao diagnóstico por imagem em 84,5% dos prontuários analisados. Conclusão: Evidenciou-se que muitos dados estão ausentes ou incompletos nos prontuários do CER II CREFES Vila Velha, o que demonstra a importância e a necessidade de uma melhoria nos registros de prontuários e padronização deles.</p> Aline Micheli Costa Souza Daniel Cordeiro Resende Jaqueline de Souza Barros Mariangela Pereira Braga Nielsen Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.16 Estudo retrospectivo de um programa de triagem de câncer de pele no Espírito Santo https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/14 <p>Objetivo: Definir o perfil dos pacientes em um programa de triagem de câncer de pele no Espírito Santo. Método: Estudo retrospectivo, descritivo e misto, a partir da análise documental de dados dos atendimentos do programa de triagem de câncer de pele, realizado por um Serviço de Dermatologia do Espírito Santo, entre março a dezembro de 2019 e março de 2020. Na análise dos dados utilizou-se cálculo de frequências e testes estatísticos com significância de 5%. Aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob parecer consubstanciado nº 4.238.973. Resultado: Dos 1360 pacientes, havia 60,07% mulheres, com idade média de 63,47 anos, 66,32% sem histórico de câncer de pele, 63,82% sem história familiar de câncer de pele, 74,19% sem uso de fotoproteção, 46,91% dos casos com evolução menor que um ano, sendo 36,40% localizada na cabeça, 18,16% nos membros superiores e 12,50% no tronco. Do total, 28,46% pacientes com câncer não melanoma, 0,66% câncer melanoma e 24,56% pré-neoplasias. Houve associação significativa do câncer não melanoma com homens, brancos e histórico pessoal de câncer de pele e de melanoma com mulheres, pardas e sem histórico de câncer de pele. Conclusão: O perfil de pacientes mostrou predomínio de mulheres, acima de 60 anos, cor branca, sem uso de fotoproteção, com lesão de evolução menor que um ano e predomínio do câncer de pele não melanoma. Apesar dos fatores de risco para câncer de pele serem esclarecidos, observa-se baixa adesão aos meios de fotoproteção, contribuindo para aumento do risco desta neoplasia.</p> Carolina Fiorotti Tedesco Ícaro Pratti Sarmenghi Sarmenghi Brenda Veiga de Almeida Karina Demoner de Abreu Sarmenghi Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.14 Perfil clínico de pacientes internados em unidades de terapia intensiva https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/21 <p>Objetivo: Analisar o perfil clínico, sociodemográfico e desfechos dos pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória-ES. Métodos: Estudo descritivo, retrospectivo, foi realizado uma análise descritiva dos dados obtidos de 260 prontuários do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória, abrangendo o perfil clínico, sociodemográfico e desfecho dos pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva, realizadas no período de 01 de janeiro de 2018 a 31 de dezembro de 2019. Resultados: 47,7% eram idosos, 70% eram pardos, 43,84% eram casados, 11,93% eram tabagistas e 15% eram ex- tabagista, 8,84% eram etilistas e 13,07% eram ex-etilistas, 32,3% eram eutróficos, 86,16% moravam na Grande Vitória, 25,38% possuíam distúrbio no sistema respiratório, 92,3% ficaram internados menos de 180 dias, 92,69% tiveram menos de 180 dias de tratamento, 63,46% possuíam doenças associadas no sistema cardíaco, 92,30% não possuíam transtornos mentais e 37,30% foram a óbito. Conclusão: São mais frequentes internados na Unidade de Terapia Intensiva pacientes idosos, pardos e com diagnóstico clínico de alterações no aparelho respiratório, sendo mais recorrente comorbidades associadas ao sistema cardíaco e endócrino. A mudança neste panorama implica em reestruturação das gestões e a identificar precocemente pacientes com risco à hospitalização.</p> Eduarda Souza Westin Oliveira Karen Vitoria da Silva Teixeira Tavares Rhayani Barbara dos Reis Gracielle Pampolim Giovana Machado Souza Simões Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.21 Perfil dos pacientes atendidos por um Centro Especializado Em Reabilitação Do Estado Do Espírito Santo https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/19 <p>Objetivo: Verificar o perfil sociodemográfico e clínico dos pacientes atendidos pela fisioterapia em um Centro Especializado Em Reabilitação da região metropolitana do estado do Espírito Santo. Métodos: Trata-se de um estudo observacional transversal, que teve uma amostra de 1000 prontuários referentes aos atendimentos de fisioterapia no ano de 2018, no Centro Especializado em Reabilitação do Estado do Espírito Santo, CER II CREFES. Para a análise estatística foi realizada a análise descritiva de dados. Resultados: Dentre os prontuários analisados, constatou-se que 51,2% são do sexo masculino, com idade média de 50 anos, 20,6% de etnia parda, 40,8% são casados, 54,6% moram em Vila Velha, 36,1% apresentam apenas o nível de ensino fundamental com uma renda média de 1827,9 reais, 83,1% com lesão ortopédica, 90,6% possuem diagnóstico clínico e 70,2% o diagnóstico fisioterapêutico. Conclusão: O perfil dos pacientes atendidos no CER II CREFES de Vila Velha - ES, se caracterizou majoritariamente pelo sexo masculino, com média de idade de 50 anos, etnia parda, com ensino fundamental, oriundos do município de Vila Velha, tendo uma renda média de 1827,90 reais, e a lesão predominantemente encontrada foi a ortopédica, e possuíam diagnóstico clínico e fisioterapêutico.</p> Aline Micheli Costa Souza Daniel Cordeiro Resende Jaqueline de Souza Barros Mariangela Pereira Braga Nielsen Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.19 Modalidades de tratamento fisioterapêutico utilizadas em pacientes com disfunções osteomioarticulares assistidos na Clínica-Escola De Uma Instituição Filantrópica. https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/17 <p>Objetivo: Identificar e caracterizar as modalidades de tratamento fisioterapêutico utilizadas nos pacientes assistidos pelo Setor de Traumato-Ortopedia da Clínica Escola de Fisioterapia de uma instituição filantrópica do Espírito Santo. Métodos: Trata-se de um estudo observacional retrospectivo de abordagem quantitativa, sendo realizado através da coleta de dados por meio de consulta aos 150 prontuários do ano de 2019, seguida da construção de um banco de dados, o qual foi submetido à análise descritiva. Resultados: Observou-se que a população atendida é em sua maioria adultos com idades entre 20 e 59 anos. Quanto ao sexo houve predominância das mulheres, a eletrofototermoterapia correspondeu a 45% e as modalidades terapêuticas mais utilizadas foi a cinesioterapia e alongamentos. Conclusão: Conclui-se que, dentro da amostra estudada, podemos observar a preferência pelo uso das modalidades como a cinesioterapia, em especial os exercícios isotônicos, exercícios de mobilidade, eletrofototermoterapia, controle neuromuscular e coordenação, destacando-se o treino de marcha e treino proprioceptivo em um contexto de condições ortopédicas majoritariamente compostas por doenças crônico degenerativas com relativo atraso entre o encaminhamento e o início do tratamento fisioterapêutico.</p> David Silva Costa Letícia Ferreira Brito Priscila Rossi de Batista Marcelo Dalla Bernardina de Almeida Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.17 Fatores associados aos acidentes de transporte terrestre no estado do Espírito Santo. https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/15 <p>Objetivo: Verificar fatores associados aos tipos de acidentes de transporte terrestre (ATT) em vítimas assistidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) no estado do Espírito Santo (ES). Métodos: Estudo transversal com coleta de dados retrospectiva da amostra de 2.502 Boletins impressos de Ocorrência dos Atendimentos Pré-Hospitalares do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de 2015, dos quais 438 são de vítimas de acidentes de transporte terrestre. Coletaram-se informações quanto ao sexo, idade, ciclo de vida, hálito etílico, veículo envolvido, gravidade do trauma e desfecho da ocorrência. A gravidade foi estabelecida por meio da Escala de Trauma Revisada. Realizou-se Teste Qui-quadrado. Resultados: Os acidentes de transporte terrestre representam 50,2% das vítimas de causas externas, cuja maioria era do sexo masculino (73,7%), adultas (81,9%), não apresentavam hálito etílico (88,8%) e vítimas de trauma menor (95,3%). A motocicleta foi o veículo envolvido com mais frequência (56,1%). Verificou-se como fatores associados (p&lt;0,05) ao tipo de acidente: ciclo de vida (adulto e colisão; idoso e atropelamento), veículo (automóvel - atropelamento e colisão; motocicleta e bicicleta - queda), gravidade do trauma (maior e atropelamento; menor e queda). Conclusão: Os dados revelam os principais fatores associados aos acidentes de trânsito orientando a assistência pré-hospitalar a essas ocorrências. É necessário intensificar as medidas educativas específicas para cada grupo de risco.</p> Rayana dos Santos Nery Raphael Paiva Cock Ferreira Luísa Zamperlini Paquini Caio Duarte Neto Luciana Carrupt Machado Sogame Simone Karla Apolonio Duarte Leonardo França Vieira Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.15 Percepção e vivência de Enfermeiros frente ao choque neurogênico: uma análise da Sistematização da Assistência de Enfermagem https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/22 <p>Objetivo: Analisar a vivência e percepção dos enfermeiros acerca do choque neurogênico frente à Sistematização da Assistência de Enfermagem. Método: O presente estudo é de caráter exploratório com abordagem qualitativa, no qual se buscou compreender e relatar o conhecimento dos enfermeiros acerca do choque neurogênico. A pesquisa foi realizada com enfermeiros do Pronto Socorro do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória e do Hospital Estadual de Urgência e Emergência, ambos em Vitória, no Espírito Santo. Foram incluídos profissionais atuantes na urgência e emergência há no mínimo seis meses. Resultados: A pesquisa evidenciou que o conhecimento dos enfermeiros acerca da temática é deficiente, o que pode gerar um despreparo frente ao atendimento do choque neurogênico. A falta de conhecimento se deve a vários fatores, tais como: a não inclusão do tema em instituições de ensino, a baixa incidência do choque no setor atuante, a jovialidade dos enfermeiros demonstrando pouco tempo de experiência e a falta de cursos e atualizações feitos pelos próprios profissionais. Quanto ao emprego da sistematização da enfermagem, foi constatado que os enfermeiros identificaram como os principais diagnósticos o risco de infecção, risco de queda, mobilidade física prejudicada e risco de lesão por pressão e em conjunto apresentaram prescrições de prevenção, promoção, proteção, recuperação e manutenção da saúde do paciente. Conclusão: Baseado nas evidências, torna-se fundamental que o profissional de enfermagem busque se atualizar continuadamente e assim, prestar uma assistência de enfermagem com eficácia para evitar potenciais complicações e favorecer a recuperação do paciente.</p> Andrielly Oliveira de Sousa Eliezer Agostinho de Oliveira Felipe dos Santos Ramiro da Silva Amanda Rodrigues Zanotti Lara Meira Pratti Cintia de Lima Garcia Francisco Naildo Cardoso Leitão Italla Maria Pinheiro Bezerra Simone Karla Apolonio Duarte José Lucas Souza Ramos Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.22 Perfil sociodemográfico e clínico dos idosos atendidos nas enfermarias em um Hospital Filantrópico De Vitória-Es https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/20 <p><strong>Introdução: </strong>O envelhecimento é um processo fisiológico no qual as mudanças morfológicas, funcionais, bioquímicas e psicológicas proporcionam um comprometimento da autonomia e adaptação do organismo diante do meio externo, o que leva a uma maior sensibilidade ao indivíduo, resultando em baixa qualidade de vida, diminuição da capacidade física, mortalidade, além da alta demanda de hospitalizações. <strong>Objetivo: </strong>analisar o perfil sociodemográfico e clínico de idosos atendidos nas enfermarias do Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Vitória. <strong>Metodologia: </strong>Estudo de coorte observacional transversal com coleta de dados de forma retrospectiva realizado através da análise de prontuários de idosos internados nas enfermarias de um hospital&nbsp; filantrópico de Vitória-ES. Os dados coletados foram anotados em uma ficha de avaliação constituídos por dados sobre o perfil sociodemográfico e clínico. <strong>Resultados: </strong>Predomínio do sexo feminino 55,4%, faixa etária entre 60 a 79 anos 68,2%, idosos autodeclarados pardos 66,8%, casados ou em união estável 43,9%, ativos em sua profissão 14,1%, eresidentes de Vila Velha- ES 31,8%. Quanto ao perfil clínico, em altura obteve média de 1,64 ± 0,08 cm e peso médio de 68,5 ± 13,9 kg, alterações do sistema cardiopulmonar como causa principal das internações 60,1% e doenças associadas, identificando a hipertensão arterial sistêmica 81,1% como principal. Predomínio de idosos tabagista e ex tabagistas 10,8%. <strong>Conclusão</strong>: o perfil dos idosos internados foi do sexo feminino entre 60 a 79 anos, autodeclarados pardos, casados e ativos em sua profissão. Entre as principais causas de internação , idosos com alterações do sistema cardiopulmonar, com relação às doenças associadas houve destaque hipertensão arterial sistêmica, na condição nutricional a maior proporção de idosos foram clasificados como eutróficos e quanto aos fatores de risco, houve destaque de idosos tabagistas e ex-tabagista.</p> Larissa Cristina De Oliveira Santos Milena Casagrande Mazocco Fabiola Dos Santos Dornellas De Oliveira Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.20 Descrição de vias de alimentação em cuidados paliativos: uma revisão integrativa de literatura https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/23 <p>Introdução: O aumento de doenças crônicas é considerado uma das consequências do aumento da expectativa de vida. Concernente a isso, não só as doenças neurocognitivas, como todas as consequências de patologias que geram incapacidades limitantes ao percurso da vida, requerem uma abordagem paliativa. Objetivo: Descrever as principais vias de alimentação utilizadas em pacientes em cuidados paliativos no percurso da doença, como na fase de terminalidade da vida. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, nas bases de dados da BVS (Biblioteca Virtual em Saúde), que trata-se de uma base de fonte terciária, contendo outras bases como MEDLINE, LILACS, IBECS e etc. Foram utilizadas duas estratégias de busca através de descritores selecionados no DECS – Descritores em Ciências da Saúde, a saber: (1) “Cuidados Paliativos” OR “Cuidados Paliativos na Terminalidade de Vida” AND “Métodos de alimentação”; (2) “Cuidados Paliativos” OR “Cuidados Paliativos na Terminalidade de Vida” AND “Nutrição”. Resultados: Embora os artigos mostrem que a escolha da via de alimentação seja algo que deva promover conforte ao paciente, muitos artigos discutem a escolha da não alimentação, ou seja, quando o paciente está em terminalidade, optar por não utilizar de vias invasivas. Conclusão: Observou-se que a divisão entre as vias parenteral/enteral e via oral se demonstrou igualitária entre os artigos, ou seja, a escolha da melhor forma de alimentação ao paciente em cuidado paliativo irá depender da sua patologia, do grau da doença, da fase de cuidados paliativos, da escolha do paciente e dos familiares e principalmente do prognóstico. </p> Elis de Oliveira Campos Paiva Mol Luiz Carlos de Abreu Shayla Raizem Spalenza Thayná Ariane Venturini de Oliveira Romeu Paulo Martins Silva Manoela Cassa Libardi José Lucas Souza Ramos Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.23 Unindo Teoria e Prática: A Parceria Crucial entre Epidemiologia e Saúde Pública na Era da COVID 19 https://clinicsbiopsychosocial.com/index.php/cbps/article/view/24 Jean Henri Maselli-Schoueri Laércio da Silva Paiva Copyright (c) 2023 Clinics Biopsychosocial 2023-12-22 2023-12-22 1 2 10.54727/cbps.v1i2.24