Tumor de brenner associado a cistoadenoma mucinoso gigante: relato de caso

Autores

  • Antônio Chambô Filho Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, EMESCAM
  • Carolina de Melo Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, EMESCAM
  • Isabella Bermudes Modenese Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, EMESCAM
  • Ronney Antônio Guimarães Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória, EMESCAM

DOI:

https://doi.org/10.54727/cbps.v1i1.9

Palavras-chave:

Tumor de Brenner, Cistoadenoma mucinoso, Neoplasia ovariana

Resumo

O tumor de Brenner é uma neoplasia ovariana rara, representando apenas 1-2% das neoplasias de ovário, sendo em sua maioria, tumores benignos. É definida como uma neoplasia fibroepitelial derivada do tecido estromal ovariano e por células epiteliais do tipo urotelial ou de transição. Raramente possuem manifestações clínicas, visto que são pequenos e unilaterais. Entretanto, há relatos na literatura de tumores com grandes dimensões. Em 25% dos casos, o tumor de Brenner pode estar associado a outro tipo de tumor ovariano, como por exemplo tumores mucinosos, serosos ou endometrióides. A conduta frequentemente constitui-se apenas de exérese do tumor, em casos benignos. Todavia, se tumor maligno ou suspeita de malignidade, a histerectomia com salpingooforectomia bilateral é preferida, complementada pela omentectomia, linfonodectomia pélvica, biópsia e lavado peritoneal.

Referências

Carvalho FM. Câncer de ovário: história natural e anatomia patológica. In: Halbe HW editor. Tratado de Ginecologia. 3° ed. São Paulo: Roca; 2000. p. 2252-62.

Tavassoli FA, Devilee P. World Health Organization Classification of Tumours. Pathology and Genetics for Tumours of Breast and Female Genital Organs. Lyon. IARC Press, 2003; p. 140-3.

Lima GR, Lima AO, Baracat EC, Vasserman J, Burnier M Jr. Virilizing Brenner tumor of the ovary: case report. Obstet Gynecol 1989; 73:895-8.

Ming SC, Goldman H. Hormonal activity of Brenner tumors in postmenopausal women. Am J Obstet Gynecol 1962; 83: 666-73.

Junior CTS, Maranhão BHF, Chibante AMS, Cardoso GP. Novo critério bioquímico para classificar transudatos e exsudatos pleurais com dosagens de proteínas totais e desidrogenase lática somente no líquido pleural. Pulmão RJ 2016;25(1):29-32.

Landeyro J, Elguezabal A, Hijós MG, Boutayeb L, Garcia-Fontgivell JF, Estelle AR. Tumor de Brenner benigno bilateral asociado a cistoadenoma mucinoso. Una aproximación a lós tumores de células transicionales del ovario. Rev. Esp. Patol. 2011; 44(2): 83-87.

Chambô Filho A, Chambô D, Borges FLL, Cintra LC, Scardini R. Tumor de Brenner Benigno e Maligno na mesma paciente: Relato de caso. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. 2002; 24(9): 625-628.

Resende GC, Benites GG, Calheiros AV, Mugayar Filho J, Oliveira LP, Siqueira OQK. Cistoadenoma ovariano gigante diagnosticado como ascite maciça. Relatos Casos Cir. 2017:(3).

Gedikbasi A, Ulker V, Aydin O, Akyol A, Numanoglu C, Ceylan Y. Brenner tumor in pregnancy: clinical approach and pathological findings. J Obstet Gynaecol Res 2009; 35:565-8.

Tiezzi DG, Guimarães EG, Oguido N, Nai GA. Cistoadenocarcinoma mucinoso de baixo potencial de malignidade em coexistência com teratoma cístico maduro do ovário: relato de caso. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. 2003;25: 605-608.

Mondolfo R, Cavalieri A, Egami M. Tumor de Brenner: relato de um caso clínico e revisão da literatura. Klinikos 1988; 4:44-7.

Farzaneh N, Zahra D. Coexistence do benign Brenner tumor with mucinous cystadenoma in an ovarian massa. Iran J Pathol. 2020; 15(4): 334-337.

Khadang B, Omeroglu A. Ovarian Mixed Malignant Brenner-Mucinous Tumor with Signet Ring Cells. Case Rep Pathol. 2020;2020:2134546.

Publicado

2023-04-03

Como Citar

Chambô Filho, A., de Melo, C., Bermudes Modenese, I., & Guimarães, R. A. (2023). Tumor de brenner associado a cistoadenoma mucinoso gigante: relato de caso. Clinics Biopsychosocial, 1(1). https://doi.org/10.54727/cbps.v1i1.9